Ponto de Referência

3 aspectos importantes para conquistar e garantir a permanência de alunos e alunas na escola

O final do ano é marcado, para a grande maioria das escolas particulares, pelo momento da rematrícula. Este é o período em que a gestão administrativa e pedagógica deve refletir sobre as práticas feitas para garantir a permanência de alunos e alunas em suas escolas. Neste texto, debatemos aspectos e experiências que ajudam neste desafio

Todos temos acompanhado as mudanças que vêm ocorrendo no segmento de educação básica, em virtude de novas demandas no perfil de ensino e novos desafios na configuração deste mercado, ampliando a competição por matrículas. Vemos instituições sólidas ruindo após quase meio século de existência, como tive notícia recentemente de uma escola com esta trajetória. Logo, atrair e garantir a permanência de alunos e alunas tem sido um desafio contemporâneo nas escolas.

Assim, vamos nos deter a analisar:

O que influencia a atração e a permanência de alunos e alunas em uma instituição? 

Temos que compreender que é tarefa de todos na instituição, não apenas de quem interage na linha de frente de secretaria, recepção, nem tampouco da Coordenação Pedagógica ou Educacional, atrair, conquistar e garantir a permanência de alunos, alunas e suas famílias, para um relacionamento duradouro.

Mais do que “o que entregamos” – que é o desafio pedagógico relacionado ao método e recursos de ensino –  o importante é o “como entregamos”: como apoiamos; como acolhemos; como desenvolvemos; e como nos relacionamos. Isso tudo com o próprio aluno ou aluna ou com seus responsáveis, que também são clientes da instituição.

Hoje vou listar 3 aspectos relacionados ao atendimento e relacionamento com o aluno e com a aluna. Nesta relação, é importante pensar em como conduzimos e o que entregamos em relação a:

1. Processo de adaptação de um novo aluno ou de uma nova aluna 

Não me refiro aos pequenos e pequenas, onde normalmente os focos de atenção são concentrados, mas em como acolher um aluno ou uma aluna dos anos finais do ensino fundamental ou do ensino médio, que pode ter estudado por muitos anos em uma única escola e agora precisa se adaptar não só a novos colegas e professores, mas a toda uma nova forma de funcionar da nova escola.  Como estamos de fato acolhendo e facilitando uma boa experiência a este aluno ou a esta aluna?

2. Acompanhamento do desempenho dos alunos

Interação adequada, no tempo e da maneira correta, com os responsáveis para contribuir para o sucesso do aluno e da aluna. Aqui, uma outra provocação: o quanto conseguimos ter um olhar diferenciado para os alunos e as alunas com desempenho superior (e não apenas aqueles com maiores dificuldades – seja no acadêmico ou no comportamental – que nos consomem atenção e cuidados), para propor maiores desafios e extrair deles e delas seu maior potencial?

3. Ambiente das turmas e bem-estar emocional do aluno e da aluna

Coordenadores e coordenadoras pedagógicos(as) dedicam-se permanentemente a esta questão. Sabemos que este é um aspecto essencial para a permanência do aluno e da aluna na instituição, uma vez que, ao estar bem adaptado(a), ele ou ela rende melhor e se engaja mais.

Da mesma forma que para as equipes entregarem um bom atendimento é necessária uma boa integração entre todos, em torno de um objetivo comum. A integração entre os alunos e as alunas também é fundamental.

Práticas para promover o relacionamento positivo entre estudantes

Assim, termino este texto deixando uma indicação de práticas que a professora norte-americana Ashley Ingle recomenda para promover relacionamentos positivos entre alunos e alunas de Ensino Médio.

  • Discussão de temas não acadêmicos conduzidos pelos próprios alunos e alunas

Consiste em abrir um espaço de 2 minutos no início ou fim das aulas periodicamente (2 vezes por semana). Inicialmente se pede que os alunos e alunas listem os temas que gostariam de discutir e a cada encontro são promovidos debates dos temas, conduzidos pelos próprios estudantes.

É importante que se assegure que todos e todas tenham a chance de conduzir em algum momento.

  • Compartilhamento de interesses entre o grupo

Estudantes listam seus artistas ou títulos de músicas favoritos no quadro branco, usando as recomendações para criar uma lista de reprodução para o período da aula. Depois são conduzidas conversas entre os alunos e alunas para compartilharem seus gostos e sugerirem músicas para os demais.

Pode-se pedir que antes das aulas os e as estudantes se reúnam para discutir suas escolhas musicais.

Você encontra estas e outras práticas no site da Edutopia (em inglês).

Avatar
Lais Bisordi [email protected]

Nenhum Comentário

Postar um Comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.