Ponto de Referência

Hipotermia do atendimento: 5 Dicas para não cair na mesmice

AAIIDDU! Ou I do? O som é igual ao I do do inglês: Eu faço.

O efeito pode ser ainda melhor. Faço porque quero, porque me mandam, porque acredito que seja o certo a fazer ou estou cooperando para que todos terão orgulho?

Eu faço e uma empresa também faz, mas o seu fazer depende do fazer de cada pessoa que faz parte dela.

Assim, para que uma empresa atinja Reputação, Relacionamentos  e Resultados superiores, é preciso que o Respeito seja a base para que haja Atitude, Atendimento e Integração Incrivelmente Diferentes Do Usual.

O “I do” que garante o sucesso e sobrevivência das empresas, na verdade é AAIIDDU, combinação de letras que jamais devem ser esquecidas por quem busca resultados superiores.

Já que as organizações existem para juntar pessoas e dividir tarefas de modo a produzir o que uma só pessoa não poderia fazer, a primeira condição a ser satisfeita é que todos na empresa?

Será que isso garante Atitude, Atendimento e Integração Incrivelmente Diferentes Do Usual?

A resposta é não. As condições acima são necessárias, mas não suficientes. Se a direção é clara, as pessoas se integram.

Se elas estão integradas em torno de um ideal, nunca reclamam dos processos. Redefinem.

Cada um em cada função dentro da empresa precisa de motivação incrivelmente diferente do usual e é isso que vai fazer o resultado de cada um ser superior.

De todas as teorias de motivação, a que mais frutificou foi a de Maslow, que estabelece uma escala de necessidades e afirma que uma necessidade só é motivadora quando ainda não satisfeita.

Ele as categorizou da seguinte forma:

• Necessidades fisiológicas
• Necessidade de segurança
• Necessidade de propriedade e amor
• Necessidade de afeto
• Necessidade de autorrealização
• Necessidade de doação

Quem ou o quê supre cada uma delas?

As fisiológicas, também chamadas de sobrevivência, em geral são satisfeitas pelo simples fato de ter um emprego e um salário que garantam moradia, alimentação e as demais necessidades básicas.

Uma vez satisfeitas, deixam de motivar e a pessoa passa a buscar segurança.

Se uma organização quer se diferenciar nesse momento e ter verdadeiramente AAIIDDU, precisa cuidar da segurança e seus colaboradores com muita transparência: para evitar desmotivação, fofocas, desintegração e deterioração do clima organizacional.

Isso é Respeito, o primeiro R.

Conhecer o sonho de cada um, contribuir para que a pessoa chegue lá e se autorrealize, mudando de área quando for o caso, atendendo a necessidades de aumento de conhecimento e melhoria de currículo.

Tudo isso formará grupos altamente motivados e prontos para atendimentos, atitudes e integração incrivelmente diferentes do usual.

Assim se constrói o segundo R, Reputação.

A genuína força da cultura de atendimento aparece quando todos estão autorrealizados e começam a pensar em doação.

Se liberam para CPTA? – Como Posso Te Ajudar? – Atendimento de coração é isso. Voluntariado para ajudar quem precisar da minha ajuda.

Traz o terceiro R: Relacionamento

E nessa fase de tanto pessimismo, quem tiver AAIIDDU construirá em sua empresa uma relação de respeito, que
consequentemente criará uma boa reputação,e firmará excelentes relacionamentos.

Todos muito satisfeitos, vão garantir que o Cliente prefira, elogie e recomende a marca. Se tudo estiver correndo bem, nem precisa se preocupar com o quarto R, o Resultado acontece de forma quase natural.

Ou você duvida que numa empresa em que todos estejam trabalhando com corpo e alma para construir a causa da empresa, o resultado vai ser maravilhoso?

Mais que isso. Resultado regado a Reputação. Círculo virtuoso de sucesso.

Clique aqui para conferir os e-books gratuitos que preparei especialmente para você! 

Até a próxima,

Edmour Saiani

Edmour Saiani
Edmour Saiani [email protected]

Edmour Saiani é sócio-fundador da Ponto de Referência e especialista em Gestão de Atendimento, Inovação e Tendências.

Nenhum Comentário

Postar um Comentário